Réseau Syndical International de Solidarité et de Luttes


lundi, 23 mai 2022

 
 

 

IV Encontro Dijon (França) de 21 a 24 de abril de 2022

Accueil > Rede > IV Encontro Dijon (França) de 21 a 24 de abril (...)

Desejamos que o maior número de organizações possam participar do encontro para reforçar nossa Rede.

Onde ?
Ethic Etape, centro de encontros internacionais e de estadia de DIJON
http://www.ethic-etapes.fr/les- destinations/dijon_centre_de_rencontres_internationales_et_de_sejour.77.23.html

Quando ?
Chegada : quinta-feira, por volta das 13h,
Encontro : De 21 de Abril (quinta-feira), às 15 horas a 24 de Abril (domingo), às 12 horas.
Um acolhimento para os participantes será organizada na estação de trem de Dijon.

Custo :
Não é desejável nem possível que o custo total seja suportado por um punhado de
organizações ou por subvenções do Estado. Por isso, pedimos a todas as organizações que assumam um custo mínimo, embora tal represente um esforço financeiro importante.

O custo é de 270 Euros por pessoa e inclui :
- o alojamento para as três noites
- todas as refeições de 21 de Abril à noite a 24 de Abril ao meio-dia.

Para as organizações não-europeias o custo pode ser diminuido a 170 euros ; a diferença será custeada por um fundo comum de solidariedade.

Fundo de solidariedade :
A CSP-Conlutas, CGT e Solidaires formaram um fundo comum de solidariedade a fim de permitir a participação das organizações em dificuldade. Informe-nos rapidamente se precisar de ajuda financeira. Informe-nos igualmente se vossa organização, ao contrário, pode ( mesmo modestamente) contribuir a esse fundo.

Inscrições :
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScVF0XmxdPEMC5APj57cTvYQmzDdjMrf-JRSoAiBoe8PgUFCw/viewform?usp=sf_link

Ordem do dia :

Quinta-feira 21 de Abril
• 13h30-15h : acolhimento, credenciamento, acomodação no alojamento.
• 15h-19h : plenária de apresentação / conjuntura internacional.
• 19h30-20h30 : refeição
• 21h-22h30 : mesa-redonda sobre a Palestina.

Sexta-feira 22 de Abril
• 9h-10h : plenária apresentação de cada temática com um recapitulativo dos textos do precedente encontro para Mulheres – Autogestão/controle operário, Migração, Racismo/Colonialismo, Repressão - Saúde do trabalhador e local de trabalho.
• 10h-12h30 : trabalho em grupo sobre temáticas
• 12h30-13h45 : refeição
• 14h30-18h : plenária dos grupos de trabalho
• 19h-20h30 : refeição
• 21h-22h30 : mesa-redonda novas formas de exploração e organização dos trabalhadores e trabalhadoras : entregadores, uberização, auto-empreendedores,...

Sábado 23 de Abril
• 9h-10h : plenária apresentação do trabalho efectuado por sectores professionais na Rede
• 10h-12h30 : grupos de trabalho por setores : educação, indústria,, transporte ferroviário, transporte aéreo, logística, reformadxs, correios, comércio, banco, call-centers, funcionários públicos, entregadores, saúde, jornalismo, etc. A lista definitiva dependerá das inscrições das organizações membros da Rede.
• 12h30-13h45 : refeição
• 14h30-16h : continuação dos grupos de trabalho por setores.
• 16h-18h : plenária dos grupos de trabalho por setores
• 19h-20h30 : refeição
• 21h : confraternização

Domingo 24 de Abril
• 9h-12h : Atualização do texto do manifesto da Rede, na sequência dos já adotados durante os três primeiros encontros.

Encontros por sectores
A partir dos setores profissionais dos inscritxs no encontro, será estabelecido o número de grupos de trabalho setoriais. Parece que já se pode prever a lista acima indicada, mas isso deve ser confirmado pelas suas inscrições.

Debate e contribuições
É urgente que as organizações redijam textos, nomeadamente sobre os seguintes temas : conjuntura internacional, ecologia, lutas das mulheres, privatizações, repressão, autogestão, etc.

Importante : pedimos que os textos nos sejam enviados já traduzidos no mínimo em inglês, francês e castelhano a 4rencontre@solidaires.org

Nosso IV encontro é uma importante ocasião para reforçar a Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Lutas através de reuniões por setor profissional e da reflexão coletiva sobre os temas que as organizações terão considerado prioritários, bem como da adoção de um plano de trabalho e de instrumentos comuns que permitam reforçar o sindicalismo de lutas, anticapitalista, autogestionário, democrático, ecologista, independente dos patrões e dos governos, internacionalista, e lutando contra todas as formas de opressão (machismo, racismo, homofobia, xenofobia).