Réseau Syndical International de Solidarité et de Luttes


samedi, 13 août 2022

 
 

 

Em solidariedade com o povo do Cazaquistão !

Accueil > Internacional (Port) > Asia > Em solidariedade com o povo do Cazaquistão (...)

A revolta popular no Cazaquistão nos preocupa. Se o elemento decisivo foi o aumento do preço do combustível, porém a revolta se inscreveu em um contexto mais amplo. O movimento foi construído a partir dos locais de trabalho, neles amadureceu, e os próprios trabalhadores definiram e aumentaram suas reivindicações e seus métodos de ação.

Em 3 de janeiro, toda a região de Mangistau foi afetada por uma greve geral que se espalhou para a vizinha região de Atyrau. Em 4 de janeiro, os petroleiros de Tengizchevroil entraram em greve. Em dezembro, dezenas de milhares de trabalhadores neste centro foram demitidos e novas dispensas foram anunciadas. O movimento se espalhou para as regiões de Aktobe, Cazaquistão Ocidental e Kyzylorda. Os mineiros da Armellor-Mittal-Temirtau, fundições de cobre e minas da corporação Cazaque se uniram e expandiram o movimento. No centro dessas lutas estão as reivindicações salariais, a redução da idade de aposentadoria, o direito à livre organização sindical e o direito à greve.

A ação direta dos trabalhadores, que deu origem ao movimento, continuou com manifestações em muitas outras cidades. Na noite de 4-5, houve confrontos severos com as forças da repressão. Um estado de emergência foi declarado com as mesmas falsas justificativas contra "elementos estrangeiros", contra "terroristas". Na verdade, esta é uma das respostas das autoridades à revolta da classe trabalhadora.

O governo na tentativa de dividir o movimento anunciou uma redução localizada do preço da gasolina, mas fracassou. As demissões e realocações nos cargos do governo não respondem às demandas do movimento : os que estão lutando o fazem por demandas sociais e políticas que correspondem aos interesses de nossa classe social, e não por simples mudanças no governo !

A partir do dia 5, grandes manifestações se espalharam por todo o país. Somam-se às demandas, por exemplo, a demanda pela libertação de todos os presos políticos e o restabelecimento da Constituição de 1993. Movimentos em diferentes cidades e regiões estão tentando se coordenar.

O assassinato de manifestantes começou na noite de 5 a 6. O exército cumpriu seu papel : servindo aos poderosos, impondo sua ordem, reprimindo, atirando e matando. O governo russo veio como um reforço, facilitando e apoiando a repressão. As forças repressivas do estado têm oficialmente o direito de atirar sem aviso prévio. O número de mortos aumenta.

As organizações membros da Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Lutas saúdam a determinação e coragem do povo do Cazaquistão. Somos solidários com a luta, apoiamos as suas reivindicações, tanto as relacionadas com a manifestação direta da exploração capitalista (salários, jornadas de trabalho, pensões, etc.) como o direito de livre organização, de greve, etc.

As organizações membros da Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Luta aderem às ações de solidariedade com o povo do Cazaquistão e denunciam a repressão exercida pelo atual poder com a ajuda do governo russo.

Solidariedade com a luta do povo do Cazaquistão ! Fora tropas russas do Cazaquistão !