Réseau Syndical International de Solidarité et de Luttes


samedi, 24 juin 2017

 
 

 

| França-Brasil | Em dia de greve geral na França, CSP-Conlutas fará ato em apoio aos trabalhadores franceses

Accueil > Sindicato > | França-Brasil | Em dia de greve geral na (...)

No próximo dia 14, os trabalhadores franceses em luta contra a reforma nas leis trabalhistas serão protagonistas de mais um dia de mobilizações, com greve geral e manifestações por todo o país.

Para expressar a nossa solidariedade, a CSP-Conlutas, em uma ação conjunta com a Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Lutas, realizará um ato em frente ao Consulado Geral da França, em São Paulo, às 16hs.

Confirme presença AQUI, na página do EVENTO “Ato em apoio aos trabalhadores franceses em luta” !

O apoio aos que lutam na França por direitos e contra os ataques dos governos e da patronal não se trata apenas de um dever do movimento internacionalista. A situação na França é emblemática e nos explica o que ocorre no mundo inteiro, em um momento em que a crise do capital atinge a todos os trabalhadores.

Leia também :

Crescimento de mobilizações e greves contra Lei do Trabalho já interfere na economia francesa

Greves, protestos e bloqueios para travar a economia – Carta da União Sindical Solidaires

Aqui no Brasil, as reformas trabalhista e da previdência, além dos ajustes fiscais, são ações que confirmam a necessidade de nos unirmos junto aos que lutam contra esses mesmos ataques.

Por isso, fazemos um chamado amplo, para que ativistas, a juventude e os trabalhadores estejam nesta mobilização que ocorrerá em São Paulo, em defesa dos nossos direitos, que seguem sendo retirados em todo o mundo. O inimigo é o mesmo, a luta é a mesma e juntos venceremos !

Solidariedade internacional
Neste próximo grande dia de mobilizações, em que os franceses estarão nas ruas, é muito provável que haja, novamente, mais repressão por parte das forças policiais, e no próximo período mais intransigência por parte do governo de François Hollande.

A conjuntura política nos mostra a necessidade de agir lado a lado, derrubando as fronteiras ou nações, e unindo a classe trabalhadora em nível global. Além da ação da CSP-Conlutas, programada para acontecer em São Paulo no dia 14, na Itália, neste sábado (4), será realizado, em frente ao consulado da França, um ato de apoio aos franceses em luta contra a reforma nas leis trabalhistas, organizado por entidades sindicais locais, como o Si.Cobas.


Rejeição da população, decreto autoritário e muita repressão

Os movimentos criticam especialmente o artigo 2, que flexibiliza e possibilita os acordos particulares sobre as negociações de sindicatos profissionais, precarizando as condições de trabalho, uma vez que os acordos por empresa devem prevalecer sobre os acordos por categoria. Para seguir adiante com a reforma, o governo recorreu a um instrumento constitucional – o 49-3 – que permite aprovar uma lei sem passar pelo voto no Parlamento, antes de ser tramitada no Senado.

O autoritarismo do governo expõe divergências internas, com a polarização figurada pelo ministro da Fazenda e os defensores de um endurecimento, como o primeiro-ministro Manuel Valls. Segundo as pesquisas, mais de 60% dos franceses apoiam os protestos e se opõem ao projeto de lei.

No último dia de mobilizações (26), cerca de 300 mil pessoas foram às ruas. E não diferente dos protestos anteriores, que tiveram início há três meses, as manifestações sofreram dura repressão da polícia.