Red Internacional de Solidariedad y de Luchas


Lunes, 11 de diciembre de 2017

 
 

 

| França | Greves, protestos e bloqueios para travar a economia

Portada del sitio > Sindicato > | França | Greves, protestos e bloqueios para (...)

Construir ações de solidariedade com a luta na França! Segue carta recente da União Sindical Solidaires. Os trabalhadores na França estão nos mostrando ser exemplo na luta contra as leis antissindicais e outras injustiças.

Unidos, continuaremos até a vitória! Nesta semana, uma série de novas greves teve início no setor ferroviário, nas refinarias de petróleo e no transporte rodoviário. Com estas categorias de alcance nacional, há greves locais em outros setores diversos (construção civil, nas indústrias, nos correios, setor cultural, de saúde, nos portos, etc). Os sindicatos das categorias de Srviços Públicos (CGT, Solidaires e FSU) também consideram a continuidade das ações na indústria. As ações do dia 19 de Maio reuniram milhares de pessoas. As manifestações noturnas (Niut Debout) têm ocorrido por toda a França, e os chamados bloqueios acontecem em diversas cidades.

A maioria da população rejeita a proposta da Reforma Trabalhista
Ao contrário do que a propaganda do governo diz, o movimento contra a Lei do Trabalho continua forte. Mas não forte o suficiente para a nossa vitória! E é isso o que está em jogo nos próximos dias. A luta continua!

Unidade para a vitória!
Não nos dividiremos: sim, é lamentável que a CGT tenha se colocado contrária ao movimento grevista dos ferroviários do SNCF na última quinta-feira, mas há um setor diferente da CGT que é responsável pelo bloqueio e a paralisação de 7 de suas 8 refinarias de petróleo desde a mesma data; A Solidaires está disposta nas ações integradas entre as centrais, num movimento que reúna a CGT, FO, Solidaires, FSU, movimentos da juventude, sindicatos locais que normalmente têm muito mais força, no chamado pelo “We Block All” (Nós bloqueamos tudo), lançada pelas centrais CGT, Solidaires, CNT-SO, CNT, FO, LAB, CFDT e também pelos Niut Debout.

O Estado é violento e repressivo
A União Sindical Solidaires mais uma vez condena a violência e repressão da polícia (incluindo as detenções e prisões) contra manifestantes, bem como contra as organizações sindicais: como a revista na filial da CNT em Lille, algumas semanas atrás, tendo ocorrido o mesmo nos escritórios da Solidaires de Ille-et-Vilaine, que foi invadida!

O 26 de Maio, antes e depois, a greve continua, cresce e fortalece
O movimento Nacional Interprofissional e Intersindical realizou um dia de greves e protestos no 26 de maio. A União Sindical Solidaires apoia os trabalhadores que realizam uma ação contínua no setor industrial e que fazem chamados também pelo fortalecimento do movimento. O mesmo esforço ocorre para o dia nacional de greves marcado para o dia 14 de junho: a União Sindical Solidaires entende que a mobilização não se trata de enterrar o movimento. Pelo contrário, é o meio para ampliar e fortalecer as greves. Vamos dar a nós mesmos o que precisamos, a fim de garantir a retirada da Lei do Trabalho e garantir que nossas reivindicações sejam incluídas, e não a dos patrões.

Quanto mais rápido nossas ações travarem a economia e afetarem os lucros da patronal e dos acionistas, mais rápido alcançaremos a vitória!

Via Solidaires