Red Internacional de Solidariedad y de Luchas


Martes, 12 de diciembre de 2017

 
 

 

Segundo Encontro aprova luta contra a austeridade e solidariedade internacional

Portada del sitio > Le réseau > Segundo Encontro aprova luta contra a (...)

182 ativistas de 24 países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Egito, Espanha, França, Grã-Bretanha, Haiti, Indonésia, Itália, México, Palestina, Paquistão, Paraguai, Peru, Portugal, Saara Ocidental, Síria, Tunísia, Turquia e Venezuela) reuniram-se em Campinas, Brasil para discutir a solidariedade internacional entre os trabalhadores e trabalhadoras.

A maior delegação internacional foi de nossos irmãos e irmãs da CCT do Paraguai, liderando uma importante presença de sindicalistas latino-americanos. Também esteve presente uma importante delegação de 13 companheiras e companheiros do mundo árabe que segue sob o calor das lutas e revoluções.

Organizado conjuntamente pela CSP-Conlutas (Brasil), Solidaires (França) e CGT (Espanha), o encontro representou mais um passo para unir o sindicalismo de lutas, anticapitalista, autogestionário, democrático, ambientalista, independente dos patrões e do governo, internacionalista e contra todas as formas de opressão (sexismo, racismo, homofobia, xenofobia).

A declaração central foi aprovada chamando uma semana internacional de ação em de 9 a 25 de outubro de 2015 contra os planos de austeridade, em defesa dos direitos trabalhistas afirmando que os trabalhadores não devem pagar pela crise. Cada organização vai decidir sobre as ações a serem realizadas em cada país (ver abaixo).
Quatro declarações temáticas sobre Criminalização do Movimento Sindical e Social, Imigração, Mulheres e Auto-Gestão Operária e Social foram discutidas em grupos. Todos os relatórios e declarações sobre estas questões serão postadas em breve, e o debate continuará aberto a novas contribuições.

Quarenta moções sobre lutas em todo o mundo foram aprovadas.

Grupos de trabalho reunindo ativistas de seis categorias (metalúrgicos e operários da Construção civil, petroleiros e mineiros, trabalhadores dos correios, trabalhadores da educação, trabalhadores da saúde, funcionários públicos) se reuniram e apresentaram relatórios para a plenária geral.

Homenagem
No início do Encontro foi realizada uma homenagem emocionante para Dirceu Travesso, conhecido como Didi, fundador da CSP Conlutas e seu responsável para solidariedade internacional, que faleceu no ano passado depois de longa luta contra o câncer.

A luta histórica do povo negro no Haiti foi abordada no encerramento com um vídeo e um discurso de um dos integrantes da delegação haitiana.

Painéis
Durante o II congresso nacional da CSP-Conlutas os convidados internacionais realizam três painéis (América Latina, Europa e mundo árabe / Paquistão) com a participação de cerca de 150 pessoas cada. Três sindicatos brasileiros (Metalúrgicos de São José dos Campos, SINTUSP, e Metroviários de São Paulo), realizaram painéis sobre Revoluções Árabes e Palestina em suas sedes após a reunião Internacional.

Desafios
O combate contra os capitalistas em suas políticas de austeridade representam um grande desafio. O sentimento geral entre os participantes é que a rede está mais forte e contribuirá para unir o sindicalismo combativo para enfrentar todos os desafios que a classe trabalhadora tem em todo o mundo.

Declaração Geral

PDF - 229.5 KB
Declaração Geral

Resoluções:

PDF - 187.2 KB
Autogestão operária e social
PDF - 179.6 KB
Não à criminalização das lutas
PDF - 205.2 KB
As imigrações, o emprego e o trabalho sob o sistema capitalista

Veja abaixo moções aprovadas sobre a Palestina e Mundo Árabe, em árabe:

PDF - 109.7 KB
Arabic Motions