Réseau Syndical International de Solidarité et de Luttes


mardi, 24 novembre 2020

 
 

 

sector aéreo

Accueil > Sectores (Cast) > Transportes > sector aéreo

No dia 19 de outubro reuniram-se online trabalhadores do sector aéreo europeu, representando várias organizações sindicais pertencentes à Rede Internacional de Solidariedade e Luta.

Por Portugal participou C, trabalhador de handling da Groundforce (Lisboa), membro da Comissão de Trabalhadores e activista do SOS Handling. Pelo Estado Espanhol CF trabalhador do handling da Iberia (Madrid) e activista da CGT. Pela França participou JLJ, TMA da Air France (Paris) e activista do Sud Aérien. Por Italia participaram MF trabalhador de handling de Airport Handling (Milão) e DC TMA Alitalia (Roma) e activista do sindicato CUB Transporti.

A conversa abordou tanto assuntos gerais sobre a situação sanitária como também aspectos socioeconómicos dos diferentes paises, assim como assuntos especificos do sector aéreo em relação à situação pandémica na europa, caracterizada por uma segunda e grave onda de contágios.

Com pequenas diferenças, e de acordo com os diversos niveis de emergência dos 4 paises, os diferentes governos estão a realizar as mesmas modalidades restritivas, com confinamentos e restrição de circulação por zonas do território, redução do horário de bares e restaurantes, restrições no desporto, etc. Contudo nada estão a fazer relativamente à capacidade e regras dos transportes públicos, que continuam a circular cheios nas várias cidades, para além de em nenhum dos quatro paises se pensar encerrar por exemplo as fábricas não essenciais. A situação dos trabalhadores adivinha-se dramática para 2021 nos quatro paises, terminaram os lay-offs e programas de apoio e já milhares de trabalhadores precários estarão despedidos. Em Itália janeiro de 2021 termina também a proibição aos despediemntos.

Com respeito ao sector aéreo a situação é dramática. Continuam as baixas taxas de operação na ordem dos 30% de vôos face a periodo homólogo, e ainda mais baixas face aos passageiros transportados, só o serviço de carga aérea tem melhor situação. A situação dos trabalhadores precários é dramática e grande maioria dos trabalhadores encontra-se em lay-off ou com alguma redução de salário : as actividades subcontratadas são onde mais se sente a situação sem muitos deles terem actualmente qualquer salário.

Em França dia 15 de outubro realizou-se uma manifestaçao importante no aeroporto de Roissy (Paris – CGD) com trabalhadores da ADP (Aeroportos de Paris). No dia 2 de novembro está prevista outra mobilização contra a subcontratação nas actividades de terra da Air France, ambas apoiadas pelo Sud Aerien. Prepectiva-se actualmente uma possivel cisão entre a KLM e a Air France por conflitos de gestão. Há uma orientação do grupo Air France – KLM para ocupação de aviões com serviço de carga.

Em Portugal concluui-se recentemente a eleição de representantes dos trabalhadores nos aeroportos de Lisboa, Porto, Madeira e Faro para a Comissão de Trabalhadores da SPdH/Groundforce (empresa de handling) onde o SOS Handling apresentou lista e onde confirmou boa votação nacional (30%) e maioria nos aeroportos do Porto e Funchal (Madeira), representando a alternativa de um sindicalismo combativo. Os vôos da TAP estão no minimo, os trabalhadores da Groundforce têm pago as consequencias da baixa actividade da companhia.

No Estado Espanhol persiste a preocupação a qual enfrenta Iberia relativamente ao Brexit, enquanto formando parte do grupo IAG com maioria da British Airways, pode perder alguns direitos de vôo na união europeia. Ao mesmo tempo há uma peocupação pela situação da Air Europa, a segunda companhia espanhola e com muitos trabalhadores directos. Continua sem trégua a luta dos trabalhadores da CGT contra a precariedade e os cuidados de saude dos trabalhadores.

Finalmente em Itália, constituida há pouco tempo a nova Alitalia (Italia Trasnporte Aéreo) está em cima da mesa o caminho para a reprivatização e assim o despedimento de 3500 trabalhadores. Outra situação critica são os trabalhadores da Airport Handling no aeroporto de Milão Linate onde centenas de trabalhadores têm os seus postos de trabalho em risco devido a uma reorganização da Alitalia para aqual prestam serviço. Os trabalhadores do sector aéreo e aeroportuário fazem greve dia 23 de outubro durante a greve geral nacional convocada pelo sindicato CUB.

Para finalizar, decidiu-se organizar uma petição internacional (europeia) contra os depedimentos, contra a precariedade e a flexibilidade horária, pela pagamento a 100% dos salários dos trabalhadores do sector aéreo, assim como contra a normativa da UE que regula a liberalização do sector em particular do handling.

CGT Iberia (Espanha)
CUB Transporti/AircrewCommittee (Italia)
SOS Handling (Portugal)
SUD Aerien (França)