Réseau Syndical International de Solidarité et de Luttes


mardi, 15 juin 2021

 
 

 

Toda a solidariedade à greve de fome de Cesare Battisti !

Accueil > Reflexões e debates > Criminalização dos movimentos sociais > Toda a solidariedade à greve de fome de Cesare (...)

O ativista Cesare Battisti foi condenado à prisão perpétua em regime de estrito isolamento pela participação na luta armada nos anos 1970, por ter participaso de confrontos com as organizações paramilitares de extrema direita em um período de grandes lutas sociais e operárias na Itália.

Cesare foi preso na Bolívia e deportado ilegalmente para a Itália em janeiro de 2019 – em um triste episódio de perseguição política, onde a entrega do troféu Battisti aos italianos uniu a subserviência do governo boliviano (Evo Morales) com os interesses da ultradireita brasileira Bolsonarista e da italiana de Salvini - Battisti vem enfrentando toda a injusta rigidez do sistema penal italiano.

Longe de seus familiares, privado de contatos sociais, Cesare passou os primeiros meses na prisão de Oristano, Sardenha, sendo transferido para a penitenciaria de Rossano, Calábria, ambas de segurança máxima, onde se encontra até hoje. Durante esse período o ativista italiano vem recebendo tratamento prisional indigno e desumano, do ponto de vista de sua saúde física e mental, porque sofre de doença hepática e insuficiência respiratória e conta atendimento médico insuficiente, além de ser privado de banho de sol. Ainda ocorre a retenção arbitrária de textos literários, seus questionamentos são sistematicamente ignorados, e não lhe são concedidos objetos de diversas utilidades e instrumentos de trabalho, mesmo que previstos pelo sistema penitenciário.

Atualmente com 66 anos, Cesare Battisti descreve sua ala de segurança máxima na prisão de Rossano como um “túmulo.

Tudo isso se constitui em grave violação dos direitos humanos. Assim, em protesto e também como forma de luta para que suas reivindicações mais elementares sejam analisadas, Battisti anunciou que está em greve de fome desde o último 02 de junho.

É preciso que, com urgência, se atenda a solicitação de Cesare, seja da transferência de instituto prisional quanto da desclassificação do AS2, de acordo com a decisão do Tribunal de Assis de Milão :

- Para que tenha acesso a uma detenção minimamente digna e humana ;

- Em uma prisão geograficamente próxima a Roma, onde sua família italiana vive ;

- Onde possa, sem ser impedido pelo AS2, desenvolver atividades comuns e sociais com outros prisioneiros, o que não é possível atualmente na Calábria.

A Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Lutas e seus sindicatos e movimentos afiliados defendem o atendimento das reivindicações de Cesare Battisti, para que seja transferido para uma casa de detenção que facilite as relações com familiares e com órgãos externos previstos no ordenamento jurídico, que possa desenvolver as relações profissionais, visando sustento, reintegração e a luta pela conquista de sua liberdade, e que tenha acesso a condições prisionais de acordo com as normas internacionais dos direitos humanos, e que a classificação no regime de Alta Segurança 2 – para terroristas, seja revista, uma vez que as condições de risco que o justificariam já não existem.

Não se explica, a não ser pelo ódio e vingança, a rigidez penal imputada a Cesare Battisti, condenado por fatos e acontecimentos há mais de 40 anos e em um determinado contexto histórico, político e social muito diferente do país, para que ainda hoje seja considerado perigoso, classificado sob alta vigilância e tratado como terrorista.

• Todo apoio e solidariedade à greve de fome de Cesare Battisti !
• Pelo atendimento de suas reivindicações !
• Repudio aos maus tratos nas prisões italianas !
• Liberdade para Cesare !